Para despertar nas crianças o uso consciente da água, a Escola Estadual Dom João desenvolve, durante todo o ano, ações que ensinam a importância de economizar o recurso hídrico. E colocam os alunos como protagonistas. 

Na escola eles são “Guardiões da Água”: são como fiscais mirins que, todos os dias, monitoram as torneiras dos banheiros e bebedouros. A cada dia são escolhidos dois estudantes para cumprir essa função e evitar o desperdício.

A escassez hídrica é um dos principais problemas dos moradores de Montes Claros, que enfrentam racionamento a cada dois dias. A Copasa informou que essa realidade poderá mudar em setembro, quando o sistema de captação de água do rio Pacuí estiver pronto. Contudo, é preciso ficar atento à perda, que segundo a companhia, chega a 26% na cidade. 

“Fizemos a ‘farda’ dos guardiões para que todos possam identificá-los. Eles fiscalizam se há torneiras com vazamento e se os coleguinhas estão utilizando a água de maneira correta. O objetivo é usar a água de forma consciente, diminuindo o consumo inadequado”, explica a diretora da escola, Léa Lopes. 

Pedro Artur Botelho e Oliveira, de 8 anos, está no 3º ano do ensino fundamental e valoriza a figura do fiscal. “Acho importante esse trabalho que a escola faz porque ajuda o nosso futuro, economizando hoje para podermos ter todos os dias”, diz.

Este não é o único projeto voltado para o meio ambiente na Dom João. A instituição também desenvolve atividades interdisciplinares sobre o assunto. Nesta semana, em celebração à Semana do Meio Ambiente, os alunos apresentaram o teatro “Jogou no chão virou bichão”.

“Sempre fomos atentos à construção da consciência ecológica, por isso nunca deixamos de trabalhar esse tema, pois o meio ambiente começa em nós. Assim, os alunos poderão continuar essa ação dentro da casa deles, passando os ensinamentos para toda a família”, afirma a diretora.