Montes Claros registrou recorde de chuvas para fevereiro, com aproximadamente 250 milímetros acumulados desde a tarde da última sexta-feira, conforme dados da estação meteorológica da Unimontes. O volume é o maior registrado no período em 13 anos. Já choveu em cinco dias o volume esperado para todo o mês. Diversos estragos foram registrados pela cidade, como árvores caídas, casas inundadas e ruas alagadas. 

O bairro Canelas é um dos mais afetados. Somente na região, o Corpo de Bombeiros Militar registrou três árvores caídas e duas residências inundadas. Os militares ainda fizeram vistoria num terceiro imóvel. 

As lagoas do Parque Municipal Milton Prates e do Interlagos transbordaram. No bairro Ibituruna, um muro caiu sobre uma casa e outras dez foram inundadas em diversos pontos. De acordo com os Bombeiros, não houve feridos. 

O tablado do Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves ficou encharcado, devido às goteiras. A população está receosa de que o problema possa prejudicar os jogos do time da cidade na Superliga de Vôlei. A reportagem de O NORTE tentou falar com o secretário de Esportes, Igor Dias, mas não obteve retorno.

Segundo a Defesa Civil, durante todo o fim de semana foram realizadas visitas às áreas de risco e não foi detectado nenhum incidente grave. Grande parte das chamadas foi devido a alagamento de vias. 
 
JURAMENTO
O volume de chuva na barragem de Juramento, responsável pelo abastecimento de cerca de 60% da cidade, não foi tão grande quanto o registrado na área urbana, segundo Roberto Botelho, superintendente da Copasa no Norte de Minas. O nível da represa aumentou pouco mais de um metro, passando para 27,27% (há cerca de 20 dias estava com 22% da capacidade total), mas é considerado satisfatório pela estatal, uma vez que não se esperava tanta chuva em pouco tempo. Como forma de conter a água da chuva, a Copasa vai construir “barraginhas”.

Com relação aos trabalhos de indução de chuvas, a Copasa informa que foram realizados 11 sobrevoos e seis processos de indução sobre a bacia de contribuição da barragem de Juramento. Os trabalhos dependem das condições de nebulosidade.

Segundo a meteorologia, a chuva continua forte em Montes Claros pelo menos até a próxima sexta-feira. Os foliões podem comemorar, pois a previsão é que o sol aqueça os dias de Carnaval. 

Prejuízos em outras cidades
Januária está no topo das cidades do Norte de Minas com maior nível de chuva nos últimos dias. Cerca de 290 milímetros caíram no município desde a manhã da última sexta-feira. Várias ruas ficaram inundadas, e a água chegou a invadir as residências. Os bairros São João e Vila Verde foram mais afetados. 

Pelo menos 300 famílias tiveram as moradias inundadas. Outras dez foram realocadas com ajuda de moradores e do Corpo de Bombeiros Militar. Os desabrigados estão em casa de familiares. 

Em Capitão Éneas, o rio que corta a cidade transbordou. Os bombeiros foram acionados pelos moradores, mas não foi constatada nenhuma situação de risco. 

Alguns pontos de Pirapora também ficaram alagados, principalmente na sexta-feira, dia que mais choveu. 

Em Matias Cardoso os fiéis da igreja Nossa Senhora da Conceição tiveram que assistir à missa debaixo de guarda-chuvas, pois o telhado estava danificado. O que mais impressionou o padre responsável pela paróquia, Daniel Cordeiro, foi que em outubro foram gastos R$ 726 mil para a reforma da cabertura. 

Em nenhuma das cidades da região Norte houve feridos ou incidentes graves. (CA)