O Governo de Minas Gerais apresentou, durante o segundo dia da Conferência Livre dos Trabalhadores e Trabahadoras de Vigilância em Saúde, as diretrizes de Minas Gerais para a implantação da Política Estadual e apoio à construção da Política Nacional de Vigilância em Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Na oportunidade, as informações foram apresentadas pelo subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Rodrigo Said. “Este encontro é uma prévia da nossa Conferência Estadual que irá acontecer ainda neste semestre e, com ele, pretendemos qualificar ainda mais as nossas atividades”, destacou o subsecretário.

Ainda de acordo com Rodrigo Said, o objetivo é propor processos de organização da regionalização de saúde, criando, para isso, equipes de vigilância com conhecimentos específicos para atuar nos territórios integrados junto aos municípios. “É um movimento de extrema importância. Há aproximadamente 200 trabalhadoras e trabalhadores de todo o estado durante essa semana nos apoiando na construção do modelo dessa política estadual”, ressaltou Said.
 
ADAPTAÇÕES
Ao longo da apresentação, o subsecretário explicou sobre o atual conceito de vigilância, que sofreu alterações ao longo do tempo e que vem se adaptando conforme as necessidades da sociedade. “É preciso aprimorar e aperfeiçoar os serviços de acordo com as novas realidades impostas”, avaliou Said.

A Conferência Livre dos Trabalhadores e Trabalhadoras de Vigilância em Saúde: Nenhum Direito a Menos ocorre, em Belo Horizonte, até hoje.

Com o tema “Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa do SUS Público de Qualidade”, o evento tem o objetivo de propor diretrizes para a formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde e o fortalecimento de ações de Promoção e Proteção à Saúde.

Voltado aos profissionais da SES-MG, das áreas temáticas de Vigilância em Saúde e Atenção à Saúde, a Conferência ocorre como uma das etapas da Conferência Estadual de Vigilância em Saúde.