Mais de um terço dos acidentes registrados neste ano nas rodovias federais do Norte de Minas (BRs 251, 367 e 365) envolve veículos de grande porte, como caminhões, carretas, cegonheiras e ônibus. Um número que assusta em função da violência desse tipo de ocorrência, que tem um alto número de mortalidade.

Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, de janeiro a julho, dos 513 acidentes registrados na região, 188 envolveram veículos de carga, que deixaram 423 feridos e 62 mortos.

O número de vítimas nessas tragédias com veículos pesados também é maior do que naquelas com carros pequenos. Do total de 992 feridos nas estradas do Norte, 42,6% estavam em ocorrências envolvendo caminhões. Já da soma de óbitos, metade é decorrente de batidas com participação de veículos de carga.

Uma série de fatos corroboram com esta estatística: estradas em más condições, imprudência dos motoristas e veículos com excesso de carga. Este último encontra amparo na ausência de balanças de fiscalização de peso.

Nos postos de polícia que cortam as BRs 251, 367 e 365 não há balança para aferir o peso das cargas que está estipulado em uma tabela nacional de pesagem. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), durante dois meses a cada ano, realiza blitz com balanças em diversos pontos das rodovias. Nas ações, praticamente todos os caminhões e carretas abordados são flagrados com carga superior ao permitido. 

“Se o excesso for 20% a mais, a ‘vida útil do asfalto’ reduz em 50%. Além disso, veículos com muito peso não conseguem trafegar direito e acabam andando em comboios (caminhão atrás de caminhão), o que traz riscos para os carros pequenos que não conseguem ultrapassar. Eles também não conseguem subir os declives direito e muito menos descer, principalmente nas curvas. Os freios costumam não funcionar e, por isso, muitas colisões acontecem”, explica o engenheiro do DNIT, Wainer de Andrade.
 
VIDA NAS ESTRADAS
Caminhoneiro há 29 anos, o motorista Antônio Roberto Guedes (Pêu) e também presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Montes Claros, destaca que são necessárias políticas efetivas voltadas para a classe.

“As coisas precisam sair do papel e ser aplicadas na prática. Trabalhamos 14 horas a mais, não temos salário fixo, os patrões pagam quanto quiserem e tem que ser tudo do jeito deles. Não é fácil sairmos de casa e não sabermos se voltamos. Essa violência nas estradas é uma guerra declarada, infelizmente”, afirma. 
 
MEDIDAS
Para tentar diminuir o índice de acidentes na região, o DNIT implantará a partir deste mês radares fixos pelas rodovias. Na BR- 251 serão 13, cinco na BR-367 e sete na BR- 365.

Outra medida é que as blitze de pesagem serão mais frequentes devido ao contrato de cinco anos com uma empresa de balanças – o departamento pegava emprestado o órgão de Brasília. E por se tratar de uma pesagem móvel, poderá realizar ação em diversos pontos das rodovias.

Mais fiscalização no feriado
Os riscos de acidentes aumentam durante os períodos de feriado prolongado. Para tentar inibir imprudências e reduzir as ocorrências, as polícias rodoviárias Estadual e Federal iniciaram a operação Independência nas rodovias norte-mineiras.

O objetivo é intensificar a fiscalização no feriadão prolongado de 7 de Setembro.

A expectativa é a de um aumento de fluxo de veículos, desde ontem. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) fará rondas ostensivas nas BRs 251, 367 e 365, com posicionamento estratégico das viaturas e policiais ao longo dos trechos mais movimentados e considerados críticos, pelo alto índice de acidentes e pela elevada taxa de cometimento de infrações de trânsito. 

Em todo o Estado foram escalados aproximadamente 800 policiais, em escalas de revezamento, que utilizarão 23 radares e 230 etilômetros. 

A Polícia Militar Rodoviária (PMRv), por motivo de segurança, não informou como será as blitze nas principais estradas do Norte de Minas, como as que dão acesso de Montes Claros a Januária, Grão Mogol, Brasília de Minas e a BR-135 que foi estadualizada ano passado e liga o Norte de Minas à capital mineira e possui maior índice de acidentes.

A Polícia de Meio Ambiente também estará engajada na Operação Independência, fiscalizando o comércio de animais silvestres e armas de caça. 
 
RESTRIÇÕES
Veículos como bitrens, rodotrens, treminhões, cegonheiras carregadas e veículos com cargas excedentes deverão ficar atentos ao horário de restrição em rodovias de mão simples, como a BR-251.

Hoje poderão rodar das 16h às 22h; amanhã das 6h às 12h; no domingo, das 16h às 22h. O motorista que descumprir a determinação será multado em R$ 130,16 (infração média), receberá 4 pontos na CNH e terá o veículo retido.