O governador Fernando Pimentel assinou esta semana, no Palácio da Liberdade, ao lado de representantes do Sebrae-MG, termo de cooperação técnica para aprimorar o planejamento das compras institucionais, especialmente na aquisição de alimentos da agricultura familiar, em 750 escolas da rede estadual de ensino. O objetivo é valorizar os pequenos agricultores e priorizar a qualidade do atendimento aos alunos.

Atualmente, a Superintendência Regional de Ensino de Montes Claros destina cerca de 38% dos recursos da merenda escolar para a compra de produtos de pequenos agricultores da região. O órgão coordena 169 escolas da rede estadual, em 30 municípios, o que totaliza mais de 89 mil alunos. 

A Associação dos Produtores de Hortifrutigranjeiros da região do Pentáurea (Aspropen) reúne mais de 120 produtores e é um dos fornecedores de merenda para as escolas estaduais, como conta o agricultor João Simael Ferreira.

“Através do programa a vida do produtor melhorou bastante. Se não fosse o PNAE não teria como o agricultor familiar se manter e competir com o mercado atual. Hoje, através dos incentivos, é possível que consigamos formar nossos filhos com o suor do campo”, pontua João.
 
GANHOS
O governador Fernando Pimentel destacou que a parceria é mais uma ação do governo do Estado para incentivar os produtores mineiros. “Estamos juntando duas coisas, uma é a valorização da pequena produção agrícola familiar e outra é a melhoria de qualidade da nossa merenda escolar. O governo está tentando valorizar a produção local, o que temos de mais precioso. E isso tem dado resultado. Um exemplo mais recente são os queijos mineiros que ganharam prêmio até na França”, destacou o governador.

A ação, em parceria com o Sebrae, faz parte do Projeto Sementes Presentes. O investimento do órgão é de cerca de R$ 1 milhão, para 188 horas de consultoria, durante 12 meses. 

O presidente da Fiemg e do Conselho Deliberativo do Sebrae-MG, Olavo Machado, destacou que o projeto é um “bom negócio” para o Estado. “Ele cria condições para que o micro e pequeno empresário possam ter oportunidade num mercado de mais de R$ 20 milhões, prestigiando os produtos mineiros”, afirmou.