Policiais civis de Minas participaram de um treinamento com agentes especiais da Drug Enforcement Administration (DEA), órgão do Departamento de Justiça dos Estados Unidos encarregado da repressão e controle de narcóticos. O objetivo foi aprimorar o processo de investigação e desarticulação de quadrilhas, principalmente as envolvidas em tráfico de drogas. Grande parte dos participantes era da região do Norte de Minas, importante rota de transporte de entorpecentes entre o Sul e o Norte do país.

O delegado da chefia adjunta da Polícia Civil, Felipe Forjaz, explica que o intercâmbio ajuda a melhorar a atuação dos servidores no combate a criminalidade. “O curso tem como objetivo a troca de experiências. É uma forma de atualizar as nossas ações. Precisamos sempre estarmos a frente da criminalidade”.

Durante o curso, os policiais tiveram a oportunidade de conhecer o que a polícia norte-americana utiliza no processo de investigação. “Vai desde equipamentos para identificação de entorpecente, por exemplo, até a característica de cada quadrilha, o armamento utilizados pelos criminosos e a maneira de se organizarem”, complementa o delegado.
 
TRÁFICO DE DROGAS
O tráfico internacional de drogas teve a maior atenção. Segundo a corporação, é o tipo de crime que “alimenta” outros delitos. “De um modo geral, os crimes violentos estão ligados ao tráfico de entorpecentes. O trabalho da polícia é identificar e prender esses grupos antes que a criminalidade tome grande proporções”, reforça o delegado Felipe Forjaz.

Em Montes Claros, os servidores já começam a colocar o que aprenderam em prática. Segundo o delegado regional Jurandir Rodrigues César Filho, foram intensificadas as ações de combate ao tráfico de drogas e contra explosões a estabelecimentos bancários.

“A troca de informação e experiência ajuda a melhorar as estratégias de combate à criminalidade. Aqui no Norte de Minas estamos priorizando o serviço de inteligência que consegue identificar quadrilhas de outros Estados que tentam infiltrar em nossa região”, explica.

O que foi abordado no curso será repassado para os outros servidores de segurança pública de Minas.