Policiais militares realizaram ontem ação na Fazenda Redenção, na zona rural de Francisco Sá, para reintegração de posse da propriedade invadida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em setembro do ano passado. Quando ocuparam o local, as cerca de 120 famílias obrigaram os donos a se retirarem da propriedade. 

Até o fechamento desta edição, a reintegração de posse ainda estava sendo executada, com apoio de oficiais de Justiça e sem violência. Além dos policiais da tropa de choque, também participaram da operação duas ambulâncias dos bombeiros, para o caso de haver algum conflito direto. 

De acordo com o MST, as terras da Fazenda Redenção não estavam sendo utilizadas. Na propriedade, hoje, há plantação de milho e feijão. Também há residências. O movimento ainda alega que a reintegração de posse contraria a decisão da Mesa de Diálogos de Conflitos Agrários, que considerou a ação ilegal e feita sem aviso prévio. Agora, as famílias estão desabrigadas. 
  
ESTRADA FECHADA
Numa reação à decisão judicial, integrantes do MST fecharam por duas horas a LMG-122, entre Francisco Sá a Capitão Enéas, colocando fogo em pneus e pedaços de pau. 

A redação de jornal “O Norte” entrou em contato com os proprietários da Fazenda Redenção, mas eles não quiseram falar sobre o assunto.