O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu está mais perto de ser reconhecido como patrimônio mundial pela Unesco. Na próxima segunda-feira, ambientalistas de várias partes do país vão à região para acelerar o processo, já que há a necessidade de proteger o patrimônio arqueológico e geológico. O grupo ficará no parque, onde também está a gruta Janelão e a maior estalactite do mundo, a Perna da Bailarina, com 28 metros. 

Os ambientalistas vão fazer um levantamento minucioso de toda a região para subsidiar documento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que será enviado à Unesco. A próxima etapa será de 8 a 10 de maio, quando diretores do instituto vão fazer uma visita técnica ao local.

Depois disto, o Iphan vai elaborar o documento, que deve ter mais de mil páginas e alto grau de complexidade. Situado entre os municípios de Januária, Itacarambi e São João das Missões, no extremo Norte de Minas, o parque se estende por 60 mil hectares, com um mundo subterrâneo constituído por 140 cavernas e mais de 80 sítios arqueológicos. 

Minas tem quatro selos de patrimônio mundial: Centro Histórico de Ouro Preto, Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, Centro Histórico de Diamantina e Pampulha, em Belo Horizonte. 

A possibilidade de o parque do Peruaçu ser reconhecido como patrimônio tem o apoio da Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente. O órgão aposta no conjunto de atrativos, com destaque para os sítios arqueológicos, principalmente as pinturas rupestres, que não apenas guardam marcas de mudanças sofridas pelo planeta, como também mostram evidências de como era a vida em períodos da pré-história.

Outro fator que pode contribuir para o reconhecimento da Unesco, segundo Carlos Leonardo Giunco, integrante da Sociedade Brasileira de Espeleologia e coordenador da campanha, é o fato de que poucas unidades de conservação no mundo reúnem tal conjunto de atrativos. Ele chama a atenção para as Lapas do Rezar e Desenhos, com paredões de pinturas rupestres incrustadas há mais de 11 mil anos.
 
LONGA ESPERA 
O Peruaçu está inscrito na lista da Unesco para concorrer ao selo há quase 20 anos, mas só agora foi apresentado oficialmente como candidato. Foi montada uma força-tarefa para cobrar o encaminhamento da candidatura pelo Ministério do Meio Ambiente. 

O movimento é tão relevante que a sociedade civil do Norte de Minas, assim como diversas instituições governamentais e não governamentais do país, estão engajadas na questão, como a Fundação Darcy Ribeiro, a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e o Instituto Grande Sertão.