As chamas que destruíram a creche Gente Inocente em Janaúba, no Norte de Minas, já se apagaram. Mas a tristeza deixada pelo ataque que fez 11 vítimas parece estar longe de desaparecer. 

Cinco dias após a tragédia que chocou o país, mais uma criança que estava internada em estado grave morreu. Matheus Felipe Rocha, de 5 anos, faleceu por volta das 4h de ontem, no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, na capital. Seis crianças e duas professoras ainda estão internadas na unidade de saúde.

No domingo, a reportagem do Hoje em Dia conversou com os pais de Matheus, que estavam esperançosos quanto à recuperação do garoto. Na ocasião, o eletricista Valdemar Rocha Pereira, de 37 anos, falou um pouco sobre o momento de dor. “Os médicos explicam, explicam... A gente não entende muito bem, mas eles diziam que ele tá se recuperando. Bem mesmo, só quando sair do hospital”, argumentava, na véspera de perder o filho.

A família de Matheus – os pais e duas tias – largou tudo para cuidar do garotinho em Belo Horizonte. “Ele é prioridade”, afirmava a mãe, a balconista Valdirene Santos. Ela, que deixou o emprego para se dedicar integralmente ao menino, já sabia que a situação era grave, mas tinha esperanças de o levar para casa. “Não vamos voltar sem ele”, afirmava Valdemar.

O garoto é a nona criança a morrer desde que o vigia da creche, Damião Soares dos Santos, de 50 anos, ateou fogo no próprio corpo e em alunos que estavam em uma das salas de aula. No momento do atentado, havia 75 crianças e 17 funcionários na escolinha. No dia da tragédia, mais de 40 pessoas foram socorridas em hospitais. 
 
ALÍVIO
Ontem, o menino Lucas Gabriel Martins Silva, de 4 anos, que estava internado na Santa Casa de Montes Claros, no Norte de Minas, recebeu alta. Ele sofreu queimaduras nas costas e inalou gases tóxicos durante o incêndio.

No fim de semana, duas crianças que tinham sido transferidas para BH não resistiram às lesões provocadas pelo fogo e morreram. O número de feridos também tem aumentado. 

No domingo, duas pessoas que ajudaram no resgate às vítimas foram internadas no hospital de Janaúba, depois de passarem mal por conta da fumaça tóxica. 

Até o momento, 23 pessoas permanecem internadas, sendo a maioria em estado grave; do total,  14 estão no HPS João XXIII, em Belo Horizonte, oito na Santa Casa de Montes Claros e outra no Hospital Universitário