Responsável por 80% do leite produzido no Brasil, o gado Girolando é resultado do cruzamento entre bovinos das raças Gir e Holandês e se adaptou muito bem ao clima tropical do Brasil. Devido à importância desses animais para a economia do país, pesquisadores do Instituto de Ciências Agrárias da UFMG (ICA), em Montes Claros, investigaram um processo para melhorar o desmame precoce dos bezerros leiteiros, a fim de aumentar os ganhos com a venda do leite e dos machos dessa raça.

O estudo foi publicado no Journal of Dairy, Veterinary & Animal Research (JDVAR) e reúne bons resultados em relação à criação e ao aleitamento artificial de bezerros da raça Girolando, por meio da inclusão de silagem de sorgo na ­alimentação desses animais. 

“Há na literatura poucos relatos sobre a fase de aleitamento artificial dos bezerros girolando, pois eles normalmente são aleitados pelas mães – sistema tradicional. Nosso objetivo foi criar separadamente os bezerros e desmamá-los precocemente. Isso é bom para o produtor, que poderá vender o leite, e para o consumidor, já que o produto ganha em qualidade, pois a presença do bezerro pode dificultar a higienização correta durante a ­ordenha”, explica o professor Eduardo Robson Duarte, um dos coordenadores do estudo. 
 
DETALHES
No sistema tradicional, o bezerro girolando é desmamado pela vaca por volta de oito meses de idade. Para o produtor, é importante que o bezerro seja capaz de digerir forragens precocemente, reduzindo o custo de produção. O desmame ocorreu gradativamente, com o leite sendo retirado das crias em 60 dias. “Inicialmente, fornecíamos para os bezerros seis litros por dia e, ao final de dois meses de idade, eles estavam ingerindo apenas dois litros. À medida que retirávamos o leite, íamos introduzindo a dieta sólida, contendo concentrado e silagem de sorgo, respectivamente, a partir da segunda e da quinta semana de idade”, afirma o professor Mário Henrique Mourthé , outro coordenador da pesquisa.

Os testes foram realizados com a silagem de sorgo, comumente utilizada nas fazendas leiteiras brasileiras. O grupo constatou que, apesar do desmame precoce, os bezerros conseguiram se desenvolver bem e com saúde. 
 
CUIDADO 
O grupo também comparou o desempenho de machos e fêmeas da raça Girolando durante os dois meses iniciais de vida. Esperava-se que os bezerros ganhassem mais peso que as bezerras, mas ocorreu o contrário. “Machos e fêmeas começaram a receber a silagem quando tinham um mês de idade. As bezerras se adaptaram bem à mudança, comendo maior proporção de silagem em relação ao concentrado com milho e soja. Já os machos, à medida que eram privados do leite da mãe, ingeriam mais concentrado. Isso provocou quadros de diarreia, retardando o desenvolvimento inicial desses animais”, explica Mário França Mourthé.

A orientação é que os produtores regulem a quantidade de concentrado e silagem servida aos bezerros em aleitamento. Como o valor nutricional do concentrado pode variar muito entre as fazendas, ele só deve ser fornecido quando sua qualidade microbiológica e nutricional for garantida.

“O produtor não pode desmamar precocemente o bezerro e colocá-lo no pasto abruptamente, pois seu crescimento não será saudável. O capim não é suficiente para nutri-lo. A pesquisa nos mostrou que a silagem de sorgo pode representar um componente importante da dieta sólida dos bezerros para redução do leite no desmame precoce. Os manejos nutricional e sanitário adequados são fundamentais para que o desmame seja feito de forma a aumentar os lucros do produtor, sem prejudicar o desenvolvimento do bezerro”, conclui Eduardo Duarte.