O feriadão da Semana Santa, considerado pela fiscalização rodoviária o segundo mais violento do ano (só perde para o Carnaval), teve 11 acidentes, com uma morte, nas estradas estaduais este ano. Um desastre a menos do que o registrado no mesmo período de 2017, segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PREv).

Já a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou dois acidentes. No ano passado, foram quatro com 16 vítimas. 

A Operação de Semana Santa, realizada pelas polícias rodoviárias Federal e Estadual e também pela de Meio Ambiente, começou na última quinta-feira. A proposta era garantir a segurança no trânsito e coibir comércio ilegal de peixe. 

Devido ao aumento de veículos em circulação nas rodovias no feriado prolongado, as ações foram realizadas para prevenir a ocorrência de crimes, infrações e, consequentemente, de acidentes, por meio de operações como controle de velocidade, ultrapassagem e lei seca. Nessa última infração, cinco pessoas foram presas por conduzir veículo sob o efeito de álcool.

A PREv fiscalizou cerca de 3 mil quilômetros em diversos trechos das estradas do Norte de Minas, incluindo a BR–135 que passou ser de responsabilidade do estado no ano passado. 

Durante o período foram fiscalizados 3.527 veículos, sendo que 39 foram removidos por irregularidades e 14 condutores presos. Nas rodovias estaduais, foram registrados 11 acidentes com oito vítimas e um óbito na MG–401, quilômetro 139, perímetro urbano do município de Janaúba.

Já nas estradas federais comandadas pela PRF do Norte de Minas, BR–251 e BR–365, foram registrados dois acidentes e três feridos. 
 
MEIO AMBIENTE
No período da Semana Santa, a polícia de Meio Ambiente se concentrou na venda ilegal de peixe, uma vez que o alimento é procurado devido à tradição católica. Foram recolhidas 125 redes, quatro tarrafas e 14 armas de fogo. Além disto, houve três prisões pela prática de crimes ambientais.