O ex-bispo de Ja-naúba José Ronaldo Ribeiro foi preso suspeito de desviar recursos da Igreja Católica. A prisão aconteceu na operação Caifás da Polícia Federal

Dom José Ronaldo foi o segundo bispo de Janaúba de onde saiu por causa de conflitos financeiros. Ele estava atuando na cidade de Formosa (GO). Lá também foram presos quatro padres e um monsenhor suspeitos de desviar R$ 2 milhões da Cúria – recursos como dízimos, doações, taxas de batismo, casamento e de arrecadações festivas de dinheiro de fiéis. 

Segundo a Polícia Federal, os criminosos praticavam os golpes na Diocese da Igreja Católica de Formosa e paróquias de outras cidades do estado. 

A investigação começou após fiéis da Diocese de Formosa denunciar sobre o aumento significativo das despesas da igreja. De R$ 5 mil passou para R$35 mil depois da posse do bispo em 2015. De acordo com a Polícia Federal, parte do recurso foi usada para aquisição de uma fazenda de gados e casa lotérica em nome de laranjas. Em dezembro do ano passado, católicos de Formosa organizaram um protesto para que os fiéis não repasse o dízimo até que dom José Ronaldo prestasse contas sobre os gastos da diocese. <CW-8>Outro questionamento da população era a respeito dos de três homens que moravam na casa do bispo – eram três considerados como filhos do sacerdote. </CW>

As contas bancárias dos suspeitos foram bloqueadas por decisão da Justiça goiana. Somente na conta de um dos padres tinha o saldo de R$ 400 mil. A Arquidiocese de Montes Claros que coordenada às igrejas do Norte de Minas não se pronunciou sobre o assunto, pois os bispos estão em retiro espiritual. Já a Arquidiocese de Formosa não atendeu às nossas ligações.