A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg) realizou em Montes Claros um seminário para discutir a efetivação da Lei Federal 13.340, que autoriza os bancos do Nordeste e Brasil a negociarem dívidas rurais com o pequeno, médio e grande agricultores. O evento contou com a participação dos representantes bancários de Minas e do país, assim como 90 sindicatos rurais.

De acordo com a legislação, o produtor rural que tiver dívidas atrasadas, anteriores a 2011, pode negociar com correção de juros, multas e até mesmo estender o prazo para negociação.

De acordo com o advogado da Fetaemg, Lindon Batista, as financeiras do Norte de Minas não estão conseguindo atender à legislação.

“Sempre que o agricultor procura o banco, a conversa com o gerente não sai do papel. O objetivo foi orientar os servidores bancários para que eles possam atender o homem do campo sem prejudicar as agências”, explica.

Os agricultores procuram as agências bancárias atrás de investimento para a lavoura e para a criação de animais. Devido à falta de chuva, os empréstimos cresceram para a aquisição de insumos, suplementos, adubos e material agrícola. “A área da Sudene possui centenas de agricultores endividados. A lei possibilita que as dívidas sejam liquidadas com descontos bons. O evento de hoje possibilitou o nivelamento entre as duas partes: financeira e agricultores. Temos que identificar esses devedores para que eles possam encontrar o melhor meio de quitar os débitos”, pontua Marcos Vinicius Dias, diretor de políticas agrícolas e cooperativismo da Fetaemg.