A inclusão profissional proporciona aprendizado, independência, trabalha a autoconfiança e o senso de responsabilidade. Assim como qualquer jovem, muitos adolescentes que cumprem medidas nos Centros Socioeducativos do Estado também sonham com uma oportunidade no mercado de trabalho.

Para qualificá-los e orientá-los nesta jornada, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), por meio da Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo (Suase), fomenta tanto o ensino formal, quanto cursos complementares e profissionalizantes, dentro e fora das unidades.

Todas as unidades de Minas possuem escolas e contam com o ensino integral, em uma parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE). Além do avanço escolar possível – a maioria dos adolescentes em internação tem média de 4 anos de defasagem escolar – as escolas oferecem atividades esportivas, oficinas de arte, cultura e lazer, regularmente.

Em 2017, o Governo de Minas inseriu mais de 1.450 jovens em cursos de profissionalização. Nos últimos três anos, foram 4.564 adolescentes instruídos. As ações são desenvolvidas de forma articulada com familiares, serviços públicos, ONGs e instituições privadas.

“Para que possam compreender o potencial que possuem, assumindo o protagonismo da própria vida, esses jovens precisam de especial atenção e orientação. Trabalhamos para mostrar que eles têm outras opções para além da criminalidade na qual foram inseridos”, observa a superintendente de Atendimento ao Adolescente da Suase, Giselle Ciryllo.

Além de cursos voltados para capacitações específicas (cabeleireiro, garçom, administrativo, empreendedorismo, culinária, entre outros), dentro dos Centros Socioeducativos do Estado, eles também passam por oficinas de capacitação básica, onde recebem orientações de como elaborar um currículo e instruções de como se portar em entrevistas e no ambiente profissional.
 
A DISTÂNCIA 
Para capacitar os jovens que cumprem medida no Centro Socioeducativo de Patrocínio, no Triângulo Mineiro, além dos cursos presenciais, a direção também utiliza a plataforma da Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais (Uaitec), que oferece mais de 70 cursos gratuitos de qualificação profissional em Educação a Distância (EaD). Na sala de informática da Escola Estadual, instalada dentro da unidade, eles acessam o sistema aberto a toda população mineira.

A diretora de atendimento da unidade, Vanessa Silva, conta que o ensino a distância veio auxiliar nas ações de profissionalização. “Em nosso município, pela falta de oferta, encontramos dificuldades para inserir os adolescentes em cursos presenciais”, observa.

Somente no ano passado, 28 adolescentes do Centro Socioeducativo de Patrocínio concluíram cursos online pela plataforma digital; as principais capacitações escolhidas foram: repositor de estoque de supermercados, assentador de portas e janelas de madeira e noções básicas de instalações elétricas


Exigências do mercado
Acompanhar as tendências e exigências do mercado trabalhista também é um diferencial do sistema socioeducativo. Na capital, por exemplo, a Suase inseriu, em 2017, 36 jovens em um curso de Sistema de Gestão Empresarial (ERP).

O software é uma ferramenta corporativa, muito utilizada pelas grandes empresas, capaz de controlar informações, integrando e gerenciando dados, recursos e processos. 

A capacitação semestral, com 300 horas de duração, é feita pelo IOS (Instituto da Oportunidade Social) – que promove a formação profissional de jovens de baixa renda, em parceria com a empresa de software TOTVS e instituições de ensino.
 
SE LIGA
Após o cumprimento da medida, os adolescentes desligados do sistema também podem contar com o apoio do programa “Se Liga”, da Sesp, de adesão voluntária. 

Seu objetivo é contribuir para a sustentação e continuidade dos projetos desenvolvidos durante o cumprimento da medida, auxiliando na construção de novas oportunidades para os jovens, inclusive de trabalho, estudo e profissionalização.

Assim, o “Se Liga” contribui para o processo de fortalecimento de vínculos comunitários, familiares e sociais desses adolescentes desligados do sistema.