Workshop promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e pela Pontifícia Universidade Católica do Peru (PUCP) irá debater temas relacionados à tecnologia, como microeletrônica e inteligência artificial. O evento será realizado no Estado em maio.

Esse é o segundo seminário fruto de parceria entre a entidade mineira e a instituição de ensino peruana. O primeiro aconteceu em outubro de 2017.

A cooperação foi firmada por meio do Departamento de Parcerias Internacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação, da Fapemig, criado há um ano com o intuito de colocar Minas em papel de destaque no desenvolvimento de pesquisas. Serão realizadas atividades em conjunto com universidades, embaixadas e agências de fomento internacionais.

Além da divulgação da ciência mineira, o projeto possibilita ao pesquisador mineiro experiências em alguns dos mais importantes centros de produção de conhecimento do mundo, frisa a chefe do departamento, Marina Brini.

“Essa troca permite a elaboração e o financiamento de projetos em cooperação mais robustos, gerando benefícios diretos para a comunidade acadêmica e para a sociedade”, complementa. 
 
AVANÇOS
O workshop no próximo mês, por exemplo, permitirá aos participantes debater micro-eletrônica, reconhecimento de padrões e inteligência artificial aplicada, telecomunicações rurais, robóti-ca aplicada e biome-cânica, bioengenharia e engenharia e preservação de patrimônio arquitetônico.

Uma das pesquisas mais avançadas, fruto do primeiro workshop, é de microeletrônica, área que trata de circuitos eletrônicos miniaturizados integrados em chip. 

O projeto, que busca desenvolver as tecnologias LiFi (Light Fidelity) e IoT (Internet das Coisas) e é uma alternativa para substituir ou complementar o WiFi e o 4G (radiofrequência), é financiado pela Fapemig e pela PUCP e realizado pelo Laboratório para Optrônica e Microtecnologias Aplicadas, da Escola de Engenharia da UFMG.

De acordo com o coordenador do laboratório, Davies William de Lima Monteiro, o grande apelo da tecnologia é o desenvolvimento de sistemas portáteis, inteligentes e autossustentáveis energeticamente.

Já o IoT visa conectar equipamentos, eletrodomésticos, veículos, objetos e afins entre si e à internet, uma demanda cada vez mais crescente no mercado.  

“A tecnologia vai permitir o posicionamento de Minas em papel destacado junto aos atores internacionais, inovando nesta vertente. Temos competência e é possível participar com êxito em tecnologias que estarão em uso tão amplo quanto o WiFi em um futuro próximo”, explica William Monteiro.

SAIBA MAIS

Setor prevê expansão da iniciativa nos próximos anos
Acordos firmados entre a Fapemig e as diversas instituições promovem o intercâmbio de pesquisadores e o financiamento de projetos nas áreas de engenharias, tecnologia da informação e comunicação, meio ambiente, mineração, agricultura, saúde e biodiversidade, energias renováveis, ciências humanas e sociais e inovação, bem como em outras áreas identificadas como estratégicas para Minas Gerais. 
 
Entre as atividades executadas pelo Departamento de Parcerias Internacionais estão também o lançamento de chamadas públicas conjuntas (nacionais e internacionais), financiamento de projetos em cooperação bi e multilateral, a mobilidade internacional de pesquisadores, a realização de workshops e seminários, entre outras ações relacionadas à cooperação científica entre equipes do Estado e do exterior. 
 
“Estamos, atualmente, focados em estruturar e institucionalizar as atividades do Departamento de Parcerias Internacionais. Paralelamente, desenvolvemos uma série de atividades em parceria, notadamente com instituições dos EUA, Europa (Alemanha e Países Baixos) e Peru. Em um futuro próximo, temos planos de expandir a internacionalização, incluindo, especialmente, mais países da América do Sul”, aponta Marina Brini, chefe do setor.