Aumentar a sensação e a segurança efetiva do cidadão mineiro em grandes eventos em BH e no interior do Estado. Esse tem sido o propósito do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) Móvel.

A estrutura se destaca pelo Painel Integrado de Eventos de Segurança Pública (Piesp), que possui nove estações de trabalho e seis câmeras de 360 graus, além de conexões com as câmeras instaladas no local e no entorno do evento. 

É considerado um centro de tecnologia embarcada com informação e inteligência, facilitando e auxiliando as forças policiais na intervenção e no registro de ocorrências em tempo real.

Além disso, há comunicação interativa com o CICC instalado na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, desde a época da Copa do Mundo de 2014.

Os investimentos de instalação do CICC físico foram federais, mas o governo do Estado investe na manutenção, na ampliação das funcionalidades e na contratação do que é necessário para o funcionamento das estruturas móveis.

Uma das instalações é destinada aos eventos da capital e a outra está pronta para fazer a estreia no interior. O modelo mineiro é de coordenação e integração, uma vez que os órgãos são autônomos.
 
ESTREIA
No Carnaval de Belo Horizonte, o CICC Móvel registrou 303 movimentações suspeitas na Praça da Estação, no Centro da cidade. Algumas foram tratadas de forma preventiva pelas polícias, enquanto outras se tornaram ocorrências de fato.

Entre os exemplos estão: prisão em flagrante de traficante na folia; localização imediata de uma criança que se perdeu dos pais na multidão; retirada de cadeirante que ficou preso na estação de metrô; e a constatação da presença de usuários de tornozeleira eletrônica no local, quando deveriam cumprir a pena em casa. 

Com as câmeras de longo alcance, é possível dar um zoom com movimentação rápida e imprimir a foto para facilitar a tomada de decisões seguras e instantâneas.

“A comunicação também é feita via rádio, internet e sistemas integrados com as forças policiais presentes, favorecendo o combate a qualquer ação criminosa em pouquíssimo tempo”, explicou o superintendente de Integração e Planejamento Operacional da Sesp, Leandro Henrique Batista de Almeida. 

De onde estiver, no CICC Móvel com o Piesp e demais funcionalidades, as diversas instituições trabalham de forma conjunta na abordagem de pessoas e veículos, utilizando cruzamento de bancos de dados e sistemas como leitura de placas, consulta de foragidos, como em blitze da Lei Seca na capital.


Agenda de grandes eventos
De acordo com a Sesp, existe, em Minas Gerais, a Comissão de Monitoramento de Grandes Eventos Esportivos e Culturais do Estado (Comoveec). Ela fica responsável por analisar os impactos do evento para a comunidade local e definir a inclusão do Piesp, sem nenhum custo adicional para os promotores.

“O Estado quer garantir a integridade e a segurança do cidadão que sai da sua residência para participar de um evento”, assegura o superintendente.

A Comoveec promove, ainda, a articulação gerencial e operacional das instituições responsáveis pela manutenção da ordem pública, o planejamento dos eventos esportivos e culturais e a execução de ações preventivas e corretivas no que se refere a atos de violência e de infrações penais cometidas antes, durante e após a realização. 

Até o momento, a comissão definiu, para os próximos meses, os seguintes eventos na capital: partida de futebol entre Atlético e Cruzeiro (4 de março); final do Campeonato Mineiro de Futebol (8 de abril); Arraial de Belô (1º de junho); Parada LGBTI (15 de julho); Virada Cultural (1º de setembro); Natal de Luz (1º de dezembro); e o Réveillon da Pampulha (31 de dezembro).

A Comoveec está analisando, também, grandes eventos no interior do Estado para definir em quais haverá a presença da estrutura móvel de segurança.