A Polícia Civil do Espírito Santo investiga um golpe de clonagem do WhatsApp que já fez vítimas em pelo menos três estados. Na última semana, dois moradores de Vitória (ES) tiveram o WhatsApp clonado e parentes e amigos ludibriados para transferir valores a terceiros. Casos também foram registrados em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e no estado do Maranhão. Em Minas Gerais, o chefe do Departamento Estadual de Investigação de Fraudes, Rodrigo Bustamante, informou que não há registros do golpe.

Segundo a polícia, primeiro, estelionatários clonam contas telefônicas de celular e habilitam o número da vítima em outros chips. Caso a vítima não tenha realizado a verificação em duas etapas do WhatsApp (uma atualização de segurança), os golpistas conseguem clonar também a conta nesse aplicativo. A partir daí, eles se passam pela vítima e começam a pedir dinheiro emprestado para os contatos mais próximos dela como pais, marido, esposa e amigos.

Uma das vítimas mais recentes é um advogado, morador de Vitória, que teve o celular clonado na última terça-feira (1º). Até ele resolver o problema, os bandidos conseguiram que uma amiga e uma sobrinha dele depositassem R$ 900 cada uma na conta indicada pela quadrilha.