O P7 Criativo, projeto que busca alavancar novos negócios em Minas Gerais, deverá mudar para a sua sede definitiva no primeiro semestre de 2019. Hoje, a unidade funciona em um endereço alternativo e já abrange 30 empresas. 

No ano que vem, as novas instalações do programa, no antigo prédio do Bemge, na Praça 7, no hipercentro de Belo Horizonte, irá ampliar a capacidade de atendimento. O edifício conta com 18 mil metros quadrados – 12 vezes maior que o espaço atual – distribuídos em 25 andares.

Inaugurado há dez meses, o P7 Criativo desenvolve serviços para acelerar, formar e capacitar novos empreendedores. Além de impulsionar startups, a proposta é gerar mais emprego e renda e incentivar a inovação para projetar o Estado no cenário da indústria criativa no Brasil e no mundo.

Estudos indicam que, em pleno funcionamento, o projeto tende a gerar mais de 1,6 mil postos de trabalho diretos e 8 mil indiretos, além de R$ 113 milhões de movimentação econômica anual. A expectativa é a de atender a 112 empresas de pequeno, 25 de médio e dez de grande portes. 
 
TRANSFERÊNCIA 
A Zup Inovation é uma delas e futuramente será uma empresa-âncora da nova sede, levando 120 pessoas para o espaço. A startup, que nasceu em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, cria soluções inovadoras em tecnologia no universo bancário e de telecomunicações, com a premissa de inserir empreendimentos tradicionais no mundo tecnológico.

“A iniciativa do P7 foi fundamental para estabelecermos a Zup em BH. O espaço traz um conceito despojado, com área de convivência e espaços para compartilhar ideias. Desde que estamos aqui temos facilitado a troca de conhecimentos para que todas as empresas no P7 cresçam juntas com as confluências”, conta o executivo da Zup, Júlio Souza. 

De acordo com a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemge, Fernanda Medeiros Machado, o P7 Criativo é um instrumento que vai dar perenidade a uma política pública focada nas características do Estado. “Mas também com o objetivo de englobar o tradicional e o histórico, chegando ao contemporâneo e ao moderno. Isso porque todos esses ofícios seguem uma evolução, agregando mais valor e mais condições para que os empreendedores conquistem novos públicos e nacionalizem e internacionalizem o Estado bem no hipercentro da capital”.

A gestora diz, ainda, que a iniciativa busca sua própria autonomia, o que a possibilita estar de portas abertas sem necessidade de recursos públicos. A ideia é lançar mão de formas criativas de promover o trabalho, oferecendo produtos e serviços de qualidade para que se estabeleça a sustentabilidade e a continuidade do projeto.

Além das áreas específicas para as empresas, a estrutura do P7 vai contar com um memorial, uma biblioteca virtual de Minas Gerais e um restaurante com vista panorâmica para toda a capital. Os espaços serão abertos ao público em geral.

SAIBA MAIS
Segundo a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemge, Fernanda Medeiros Machado, todo o processo de entrada e adesão ao espaço coworking do P7 Criativo vem sendo feito através do site p7criativo.com.br.

Uma equipe especializada analisa a proposta para verificar se a empresa se enquadra nas missões, valores e objetivos da própria agência de fomento. “Buscamos uma diversidade. Esse clima de conexões é o que transforma o local no potencial a que veio cumprir, sempre relacionando uma empresa âncora com seus fornecedores”, diz.
 
Para o diretor-executivo da Link Saúde, Thiago Madureira Andrade, que trabalha com um sistema de inteligência de dados com prontuários médicos eletrônico on-line, a maior vantagem que o local traz é o intercâmbio de informações constantes. “Temos a oportunidade de fazer sinergia com várias outras empresas de pequeno e médio portes”, ressalta.