Uma das atrações da 44ª Expomontes é a Feira de Agricultura Familiar, um dos espaços mais visitados do evento desde 2011, o que evidencia a importância dos pequenos produtores para a economia regional. A expectativa é a de que pelo menos R$ 180 mil sejam comercializados nos dez dias de festa. 

Para esta edição, 50 produtores rurais, alocados em 45 barracas, aproveitam a oportunidade para divulgar os produtos e expandir os negócios. A feira ocupa um setor à parte dos estandes da Expomontes, em local estratégico para que frutas, legumes, hortaliças, mel, queijo, doces e o artesanato possam ficar armazenados de maneira adequada.

Além de produtores rurais de Montes Claros, participam agricultores de outras cidades do Norte de Minas, como Bocaiuva. 

“É uma excelente oportunidade para expandir os negócios. Temos casos de artesãs que trabalham com argila que vieram em 2016 e não conseguiram voltar, devido à grande demanda de encomendas que teve logo após a exposição”, ressalta Cleide Neves, extensionista de Bem-Estar Social da Emater.
 
QUALIDADE
Consumir produtos da agricultura familiar é uma forma de fugir dos agrotóxicos, pois o cultivo é feito com adubo natural. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, 70% dos alimentos consumidos em todo o país vêm da agricultura familiar. Os alimentos fortes deste grupo são mandioca (87%), feijão (70%), carne suína (59%), leite (58%), carne de aves (50%) e milho (46%).
 
INVESTIMENTO 
A deputada federal Raquel Muniz (PSD) integra a Frente Parlamentar Agropecuária e destinou emenda de R$ 150 milhões em recursos e equipamentos. Com a verba foi possível viabilizar sistema de abastecimento de água para as comunidades rurais, recuperar estradas sempre preservando as nascentes e modernizar os projetos do Gorutuba e Jaíba.

A emenda também foi destinada para compra de tratores e maquinários para aumentar a produtividade da agricultura familiar.

“Fizemos um excelente trabalho com o apoio da classe ruralista para a renegociação das dívidas rurais. Encabecei a luta pelo desconto das dívidas previdenciárias e também a garantia para que agricultores familiares pudessem alongar os prazos para quitar débitos com os bancos, pois muitos acumularam dívidas com os programas de financiamento do Banco da Terra; e os sem-terra, inadimplentes com o Programa Nacional de Crédito Fundiário”, afirma a deputada. 

Na próxima quinta-feira o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, estará no Parque João Alencar Athayde para conhecer o projeto de agricultura familiar e outros segmentos do agronegócio norte-mineiro.