A vida anda tão corrida que o convite para uma cervejinha após o trabalho, um aniversário ou até uma balada corre o risco de ser recusado se você tiver que ir em casa para trocar a roupa. O cansaço, muitas vezes, faz com que muita gente escolha ficar na frente da TV, assistindo a uma série da Netflix. Um artifício para evitar isso é já sair para a labuta pronto também para a farra.

“Hoje, a roupa está muito versátil, é uma tendência do mercado por vários motivos. Ninguém está tendo tempo, ele está superprecioso. Para voltar para casa, você acaba desanimando”, coloca Cristina Salomão, diretora-criativa da Regina Salomão. 

Para a estilista, apostar na troca de sapatos é a opção que mais mudará a “cara” do visual. “Você coloca um terno ou um vestido midi, com os quais pode ir trabalhar até com tênis, e, na hora de sair, coloca uma sandália alta. A roupa toma outra estrutura”, explica.

Além disso, Cristina indica o reforço da make antes de partir para o compromisso noturno. “O retoque da maquiagem vai fazer com que o look sobressaia. Pode-se utilizar, também, brincos poderosos ou trocar uma blusa que tenha levado na bolsa, é muito fácil”, destaca.
 
PARA ELES
A roupa do trabalho, não só para elas, mas para os homens, mudou muito. Os escritórios, dependendo do segmento de mercado, estão mais relaxados com o dresscode. 

Para o sócio-proprietário da ZAK, Bruno Nunes, o profissional consegue trabalhar com uma roupa e tranquilamente emendar para algum evento ou happy hour.

“Para os que trabalham de calça jeans e camisa, ou calça em tecido mais slim e camisa, por exemplo, se a temperatura estiver elevada, o recurso é dobrar a manga da camisa acima do cotovelo para dar um aspecto moderno, mais descolado”, ensina.

Em uma área muito casual, como startups ou agências de publicidade, dá para ir de camiseta ou pólo. Nesses casos, levar uma peça de roupa no carro ou na pasta pode ser opção.

Bruno Nunes lembra que, no outono-inverno, o ideal é colocar um blazer mais desestruturado ou um tricô de cor escura, que é um curinga. Ou mesmo jaqueta de couro ou nylon.
 
CORES
Uma das dicas mais certeiras para essa transição de looks do dia para a noite é a escolha das cores. Conforme Cristina Salomão, há aquelas que não trazem sofisticação para o visual noturno.

“Escolha cores mais sofisticadas, que sejam adequadas para a noite. Que a roupa não seja muito floral, com a cara de dia”, expõe. 

“A própria roupa, de um modo geral, está muito mais clean e versátil e é um desejo mesmo, por uma questão de comportamento de consumo”
 
Cristina Salomão
Diretora-criativa da grife Regina Salomão