Que decoração é uma questão de gosto, ninguém duvida. Mas saber embelezar a casa unindo as preferências do morador às regras básicas para um décor perfeito é fundamental para garantir harmonia aos ambientes. Independentemente da personalidade de cada um, há situações que devem ser evitadas sob pena de se cometer verdadeiras gafes na estruturação do lar. 

Para a arquiteta Carmen Calixto, por exemplo, a boa decoração passa não só pelas escolhas pessoais do dono da casa, que deve imprimir a própria personalidade em cada detalhe, como pelo aproveitamento perfeito das áreas. “Não é preciso, necessariamente, seguir regras nem padrões, mas é fundamental, sobretudo na era em que vivemos, de locais cada vez menores, saber aproveitar os espaços”, aconselha a profissional.

Nesse contexto, cada detalhe, segundo ela, conta. “Obras de arte de gosto duvidoso é melhor evitar. Se não puder ou não quiser investir em algo bacana, opte por fotos ou pôsteres. O melhor é deixar de lado quadros com pinturas muito amadoras e esculturas de parede”, orienta. 

Ela também aponta pisos e revestimentos que imitam pedras naturais como um perigo para a harmonia da decoração. Se a imitação não for perfeita, o resultado pode ser desastroso, alerta, lembrando a importância de seguir um padrão. 

Outra gafe que pode ser evitada tem relação direta com a luminosidade da casa, ou seja, com o ambiente e o aconchego que se pretende criar. A profissional explica que lâmpadas fluorescentes brancas tornam os ambientes pouco confortáveis. O ideal, portanto, é optar pelas neutras, que não têm tom específico, ou pelas amarelas, que conferem um tom dourado aos espaços. 
 
VERDE PRESERVADO
Nas áreas externas, a dica da arquiteta é manter ao máximo a preservação dos espaços verdes. Nada de cimentar o quintal inteiro! “Eliminar a vegetação é um erro. Quintais precisam de verde para ser agradáveis e trazer conforto. O jardim vertical é uma boa opção para quem não quer ter grama, mas deseja preservar a natureza”, ensina Carmen Calixto. 

Na avaliação da designer Fabiana Visacro, a decoração de um lar deve ser encarada como a preparação de um santuário. 

“É nele que nos abrigamos dos problemas externos. Sendo assim, uma boa decoração é aquela que consegue transformar a casa em um lar de verdade, que recebe e acolhe”, detalha. 

Para a profissional, personalidade é fundamental, desde que aliada a boas ideias e referências inteligentes e práticas. 

Confira as dicas do que fazer para deixar a casa mais aconchegante e arrumada e, claro, orientações sobre o que evitar para não escorregar na decoração. 

Evite outros erros:

– CASA LOTADA
Priorize áreas de circulação. Uma decoração equilibrada depende de escolhas certas e dimensões exatas para o tamanho dos cômodos
 
– CORTINA CURTA
O ideal é que elas estejam rentes ao chão ou com uma sobra de até dois centímetros, nunca acima do piso, as conhecidas “pega frango”
 
– ARMÁRIOS RASOS
Guarda-roupa mal planejado é problema certo para a conservação das peças. A medida ideal é de 60 centímetros entre a porta e o fundo para evitar amassar as roupas
 
– TAPETE CURTO
Parte do acessório deve ficar sob o sofá e a outra, esticada em frente e nas laterais. As sobras devem ter pelo menos 10 centímetros para dar sensação de amplitude
 
– TUDO COMBINADINHO
Personalidade é palavra de ordem em qualquer decoração. Evite ambientes 100% combinados. Desencontros são importantes para criar ambiência