Para recuperar o terreno perdido no segmento de utilitários-esportivos (SUV) compactos, a Renault lançou em fevereiro o Captur. O jipinho francês chegou com linhas mais suaves que o irmão Duster, mas pecava nas opções de conjunto motor. O consumidor tinha como opção apenas a unidade 1.6 de 120 cv e caixa manual, ou 2.0 de 140 cv e transmissão automática de quatro marchas. 

O primeiro pecava pela falta de comodidade, e o segundo, pelo consumo elevado e preço salgado. O equilíbrio veio em junho com a versão Zen 1.6 com caixa CVT, emprestada da Nissan. Trata-se do mesmo conjunto que equipa o primo Kicks, mas com alguns cavalos a mais. Não é nenhum exemplo de vigor físico, mas verdade seja dita: é mais que suficiente para quem anseia por um SUV. 

Com essa versão a Nissan quer ampliar as vendas do modelo. De fevereiro a setembro, foram apenas 7.774 unidades, segundo balanço da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Uma média de 1.100 unidades mensais, bem menos que o Duster, que tem emplacado 1.400 carros ao mês. 

Mas é preciso reconhecer que o Duster parte de R$ 70 mil, enquanto o Captur começa nos R$ 80.450. No entanto, na soma dos dois jipinhos a Renault beira cerca de 7% do segmento, com pouco menos de 20 mil unidades. 

Apesar de o Duster também contar com a opção de motor 1.6 e transmissão CVT, partindo de R$ 74 mil, o Captur é um automóvel mais refinado, tanto no visual quanto nos conteúdos, com direito a velocímetro digital, chave do tipo cartão, pintura em dois tons, cromados e demais mimos que encantam o consumidor.
 

SAIBA MAIS

Renault Captur Zen 1.6 CVT
O QUE É?
Utilitário-esportivo (SUV) compacto de cinco lugares.
 
ONDE É FEITO?
Produzido na unidade São José dos Pinhais (PR).
 
QUANTO CUSTA?
Preço base: R$ 86.450
Testado: R$ 92.850
 
COM QUEM CONCORRE?
O Captur concorre com Chevrolet Tracker LT 1.4 turbo (R$ 82.990), Ford EcoSport SE 1.6 (R$ 78.990), Honda HR-V LX 1.8 (R$ 87.900 mil), Jeep Renegade Sport 1.8 (R$ 87.990), Nissan Kicks SV 1.6 (R$ 85.600) e Peugeot 2008 Griffe 1.6 (R$ 83.990)
 
NO DIA A DIA
O Captur é um Duster mais refinado. Ambos compartilham a mesma base e motores. A versão com caixa CVT resolveu um gargalo que havia na linha, oferecendo mais conforto e comodidade no uso diário. A posição de dirigir é muito boa e oferece ótima visão, até mesmo na traseira. 
 
No interior, apesar do visual mais elegante, seu acabamento é simples, mas a montagem é honesta e minimiza ruídos. O isolamento acústico também é superior ao do Duster. O espaço é generoso tanto para os passageiros quanto para bagagem (437 litros). A oferta de cintos de três pontos para todos os ocupantes é um ponto positivo, assim como ESP de série.
 
Seu pacote de conteúdos conta com retrovisores elétricos, chave do tipo cartão, direção elétrica, quadro de instrumentos com velocímetro digital e indicador de condução eficiente. Ele ainda oferece alerta visual para fixação dos cintos de segurança, inclusive para quem viaja na segunda fileira. 
 
O único opcional é o sistema Media Nav, que inclui, além do navegador GPS, a câmera de ré, por nada modestos R$ 2.500. Pelo valor do carro deveria constar no pacote.
 
MOTOR E TRANSMISSÃO
O motor 1.6 de 120 cv e 16,1 mkgf de torque está longe de ar ao Captur uma performance de atleta, mas a combinação com a caixa X-Tronic CVT da Nissan garante comodidade ao motorista no cotidiano. 
 
As respostas do câmbio são um pouco lentas. Mesmo quando se cutuca o acelerado no chamado “kick-down” ele demora a atender. Numa situação em que se precisa ser ágil, a solução melhor é mudar para o modo manual e realizar as trocas pela alavanca. 
 
COMO BEBE?
Abastecido com álcool, a unidade testada registrou média de 7,4 km/l no trajeto urbano e com modo ECO ativado. 
 
SUSPENSÃO E FREIOS
A suspensão utiliza conjunto McPherson na frente e eixo rígido atrás. Com acerto firme, ele não oscila nas curvas (muito em função do ESP), mas o conforto de quem viaja atrás é prejudicado. Os freios contam com discos ventilados no eixo dianteiro e tambores no traseiro.
 
Pontos positivos
Estilo
Conteúdo
 
Pontos negativos
Multimídia oferecido como opcional
Acabamento