Uma plataforma criada para alertar a população sobre tempestades, deslizamentos de terra, rompimento de barragens e outras ocorrências, agora é parte dos mecanismos utilizados pela Defesa Civil. 

Por meio do aplicativo, chamado Sipdec-MG (Sistema Integrado de Proteção e Defesa Civil de Minas Gerais), também serão divulgadas ações de mobilização para ajudar quem mais precisa e campanhas de arrecadação e distribuição de itens para regiões afetadas por desastres.

A grande motivação desse aplicativo é que a gente pode dar credibilidade nas informações. Hoje nós somos muito vítimas de notícias falsas e que, às vezes, geram um determinado pânico e a Defesa Civil está criando esse canal direto”, afirma o coordenador estadual da Defesa Civil e chefe do Gabinete Militar do Governador, coronel Fernando Arantes.

O objetivo do novo recurso é fortalecer as redes de assistência social e integrar ainda mais o Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil em toda Minas Gerais. Os avisos meteorológicos e os alertas serão enviados pelas equipes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, que monitoram 24 horas por dia as situações de risco em todas as regiões do Estado.

Já as informações de como ajudar, locais de entrega de donativos e campanhas de mobilização serão disponibilizadas pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas). Posteriormente, outras instituições e serviços serão incluídos no aplicativo.

Disponibilizado gratuitamente, o app foi idealizado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec/MG) e desenvolvido pela Polícia Militar com o apoio da Prodemge (Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais).
 
RECONHECIMENTO
O lançamento da plataforma durante evento de entrega da Medalha de Mérito da Defesa Civil, no Palácio da Liberdade. 

Ao todo, foram 77 agraciados com a comenda, que homenageia personalidades e instituições que tenham prestado relevantes serviços às comunidades mineiras para minimizar as consequências danosas das calamidades. 

“Essa medalha agracia aqueles mineiros e mineiras que, em algum momento de sua existência, correndo risco, ou dedicaram algum momento precioso ou energia preciosa para salvar a vida de alguém, proteger o patrimônio de alguém”, destacou o governador Fernando Pimentel. 


Creche de Janaúba é relembrada
Dos 77 agraciados com a Medalha de Mérito da Defesa Civil, 14 ajudaram nos trabalhos de resgate e socorro médico na tragédia na creche Gente Inocente, em Janaúba, em outubro do ano passado. São militares e civis que estiveram na creche em que um vigilante ateou fogo ao próprio corpo dentro de uma sala de aula, causando a morte de outras 10 crianças, uma professora e duas auxiliares de classe.

Uma das homenageadas foi a auxiliar Jéssica Morgana da Silva Santos, que faleceu dois meses após a tragédia. A mãe dela, Maria Solange Ferreira Silva, de 44 anos, compareceu à cerimônia e relembrou a tristeza do fato. 

“Foi uma tragédia muito grande, muito triste, que comoveu o mundo todo. Essa é uma homenagem muito bonita às pessoas que foram guerreiras, heroínas, que salvaram muitas vidas”, disse.

O pedreiro Warley Oliveira Silva, de 28 anos, também homenageado, trabalhava em uma casa que fica na mesma rua da creche e foi um dos primeiros a chegar ao local. 

“Eu estava trabalhando e ouvi os gritos da professora e corri para dentro da escola. Fomos socorrendo a professora, as crianças, tentando apagar o fogo. Nunca vi aquilo na minha vida”, afirmou.

Medalha é entregue desde 1984

A Medalha de Mérito de Defesa Civil foi criada pelo decreto nº 23.658 de 4 de julho de 1984.

O Estado de Minas Gerais, reconhecendo e incentivando a prática dessas ações de solidariedade humana e dedicação, faz a entrega, anualmente, da condecoração.

A entrega da comenda integra os eventos comemorativos do 40º aniversário da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG), que integra o Gabinete Militar do Governador.

Criada em 7 de dezembro de 1977, por meio da Lei Estadual 7.157, a coordenadoria executa as ações de prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação, destinadas a evitar ou minimizar desastres, preservar o moral da população e restabelecer a normalidade social em todo o Estado