A equipe de futsal masculino, categoria sub 17, da Escola Estadual Professor Alcides Carvalho – Polivalente, em Montes Claros, foi uma das campeãs da fase municipal dos Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg) 2018. 

O professor de educação física e responsável por treinar os alunos, Walduck Riserio Leite Amaral, comemorou bastante o resultado além das quatro linhas.

“O esporte é uma maneira de inserir o aluno na sociedade. Para mim, a educação física é o meio mais efetivo de chegar perto da realidade dele, porque o professor é o mais próximo deles e muitas vezes até uma referência”, diz. Por isso, acredita que é um importante caminho para orientá-los a um futuro melhor. “Livre das péssimas influências da vida, esse evento é um estímulo muito grande para prática saudável de esportes”. 

Ainda pelo Polivalente foram disputadas as modalidades coletivas (futsal, handebol, basquete, voleibol) nas categorias sub-15 e sub-17, no masculino e feminino. 

Nos jogos escolares existem quatro fases: municipal, microrregional, regional estadual, além da nacional, denominada Jogos Estudantis da Juventude. Segundo Walduk, na fase municipal, a realização do evento é financeiramente de responsabilidade da prefeitura. A microrregional e estadual, por conta do estado e a nacional, do governo federal.

Ainda, de acordo com o professor, as escolas vem sofrendo com a falta de ajuda municipal. “Antes, tínhamos total apoio, com policiamento, profissionais da saúde, inclusive ambulâncias na porta dos ginásios, e também premiação para as equipes vencedoras. Desde o ano passado, foi encurtada a fase por falta de verbas”, afirma.

Além de questionar a falta de premiação aos vencedores, Walduk Amaral denuncia a falta de estrutura para realização dos jogos. “A equipe organizadora fez o que pôde, mas foi ruim em todos os aspectos, inclusive na logística. O ginásio da praça de esportes não foi utilizado porque estava condenado pela Defesa Civil por falta de manutenção”, completa.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Montes Claros, mas até o fechamento não houve retorno.