Cruzeiro e Flamengo se reencontram hoje, às 21h45, na Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro, 40 dias depois de decidirem, no Mineirão, a Copa do Brasil de 2017. E o confronto será uma verdadeira revanche pela metade, pois só os cariocas, que saíram derrotados do Gigante da Pampulha, o encaram como uma chance de vingança. Além disso, dos 27 jogadores que estiveram em campo naquela noite de 29 de setembro, 12 não jogam hoje pelos motivos mais variados.

Vivendo um momento de turbulência desde a perda do título da Copa do Brasil para o Cruzeiro, nos pênaltis, o Flamengo entra em campo mais uma vez pressionado.

O time do técnico Reinaldo Rueda vem de derrota de 3 a 1, de virada, para o Grêmio, em Porto Alegre, e se não vencer corre o risco de perder sua vaga no G-7 para o rival Vasco.

Para complicar ainda mais as coisas para o treinador colombiano, ele não contará com seis titulares na partida de hoje, sendo que a diferença em relação à escalação usada no Mineirão, há 40 dias, é de sete jogadores.

Entre as ausências flamenguistas, estão dois protagonistas daquela final pelo lado rubro-negro. O agora reserva Alex Muralha, que pulou em todos os pênaltis para o mesmo lado, numa estratégia previamente armada pela comissão técnica flamenguista, e o meia Diego, que teve sua cobrança defendida por Fábio, mas que foi convocado por Tite para defender a Seleção Brasileira nos jogos contra Japão e Inglaterra, nos dias 11 e 14, respectivamente, apesar da fase ruim.

Além dos dois, o rubro-negro não contará com o atacante Guerrero, suspenso preventivamente pela Fifa por doping, com o lateral-esquerdo Traucco, defendendo a seleção peruana, e com os zagueiros Juan e Réver e o atacante Berrío, os três machucados.
 
AUSÊNCIAS
No Cruzeiro, são cinco as ausências esta noite em relação à decisão de 29 de setembro. O zagueiro Léo, o volante Hudson e o atacante Raniel estão machucados ou recuperando a forma física.

Além deles, não jogarão hoje os meias Rafinha, suspenso, e Arrascaeta, servindo à seleção uruguaia.

Apesar de tantas ausências, os dois times entram em campo com motivos de sobra para brigar pelos três pontos. O Flamengo precisa defender sua posição no G-7. Já o Cruzeiro ainda sonha pelo menos com o vice-campeonato brasileiro.