O que é, o que é: um pontinho azul em Ceará-Mirim, cidade a 28 km de Natal, capital do Rio Grande do Norte? Longe de ser mais uma adivinha, esta pergunta é facilmente respondida pelo torcedor da URT, que está a um empate de conseguir o primeiro acesso de sua história em uma competição nacional.

Bicampeão do interior no Estadual, o time de Patos de Minas agora luta para se garantir na Série C do Brasileirão de 2018. O primeiro passo já foi dado no últim fim de semana, ao vencer o Globo-RN por 1 a 0, no estádio Zama Maciel. “O jogo foi muito bom. Como fizemos o gol muito cedo, forçamos o time deles a sair para o jogo. É uma equipe muito organizada, que está há três anos junta e que tem muito entrosamento”, avaliou o técnico Rodrigo Santana.

Ciente de que não terá facilidade alguma no duelo de volta das quartas de final, marcado para amanhã, às 21h, no estádio Barrettão, Santana rechaça o clima de “já ganhou”. Para ele, é preciso ter os pés no chão para não jogar o trabalho feito no lixo.

“Estamos satisfeitos pela vitória, mas a nossa vantagem é muito pequena. Tivemos outras chances para ampliar, mas acabamos não conseguindo concluir, pois o gramado não ajudou muito. Está tudo em aberto, será um jogo muito difícil lá, e vamos procurar fazer o nosso papel, como temos feito durante todo o campeonato”, destaca o técnico, eleito o melhor do Campeonato Mineiro.
 
SEM DESCANSO
Os jogadores iniciaram na segunda-feira a preparação para a longa viagem até o Rio Grande do Norte. De acordo com Santana, a expectativa é que ele possa contar com força máxima para o desafio mais importante da história da URT. “A equipe está bem séria, com o pé no chão. Sabemos que não ganhamos nada ainda”, disse.