MOSCOU (Rússia) – A derrota eliminaria o Brasil da Copa do Mundo de 2018. Panorama, porém, que passou longe de acontecer. Sofrendo por poucos minutos na defesa, o time verde e amarelo controlou as ações e venceu a Sérvia por 2 a 0 no Spartak Stadium, em Moscou.

Na última rodada do Grupo E, o Brasil confirmou a classificação em primeiro lugar e enfrentará o México, segundo colocado do grupo F.

Os gols foram de Paulinho, em um lindo passe de Coutinho, e Thiago Silva – assistência de Neymar. Uma bola na rede em cada tempo. O ponto negativo foi a saída de Marcelo, lesionado na coluna.

A Seleção Canarinho agora enfrentará o México nas oitavas de final. Duelo de americanos, graças à derrota mexicana para a Suécia (3 a 0) combinada com a derrota da Alemanha para a Coreia do Sul.

A Suíça enfrenta os suecos, já que empataram com a Costa Rica (2 a 2) e ficaram mesmo em segundo lugar. Os suíços precisavam vencer os costarriquenhos por um gol a mais que a vitória brasileira no Spartak.

O Brasil viaja para Samara no jogo de segunda-feira diante dos mexicanos e coloca à prova a eterna invencibilidade diante dos chamados “coadjuvantes” em partidas de Copa.

A geografia da Fifa é própria. A entidade não considera a América um continente único. Ela é dividida em duas partes. A América do Sul forma a Conmebol e a América do Norte, Central e Caribe a Concacaf. Além disso, apesar de estar na Oceania, por questões técnicas, a Austrália participa das competições organizadas pela entidade máxima do futebol pela Ásia.

Nas 20 edições de Copa já disputadas, apenas sul-americanos e europeus já chegaram à final. Seleções da África, Ásia, Oceania e América do Norte, Central e Caribe alcançaram, no máximo, as semifinais, mesmo assim, isso só aconteceu duas vezes, com os EUA, terceiro colocado em 1930, no Uruguai, e Coreia do Sul, quarta em 2002, quando dividiu a organização da Copa com o Japão.

O confronto desta segunda-feira, contra o México, será o 21º da Seleção Brasileira contra os “coadjuvantes” em Copas do Mundo. E nos 20 jogos anteriores, foram 19 vitórias e apenas um empate, por 0 a 0, justamente com os mexicanos, na segunda rodada da fase de grupos de 2014, em partida que teve o goleiro Ochoa, que estará em campo em Samara, eleito o melhor em campo pela Fifa.

O México é o principal adversário “coadjuvante” da Seleção em Copas do Mundo, pois eles irão se enfrentar pela quinta vez. O Brasil soma três vitórias e aconteceu ainda o empate de 2014.