Entre a crise e a glória, pois a euforia pela conquista do penta da Copa do Brasil, em 27 de setembro, deu lugar a apreensão, por todo o cenário desenhado no futebol do clube após a eleição de Wagner Pires de Sá na última segunda-feira, o Cruzeiro entra em campo neste sábado, às 16h, no Mineirão, para encarar a Ponte Preta, com a chance de alcançar, pelo menos provisoriamente, aquele que foi traçado pelo técnico Mano Menezes como objetivo principal nesta reta final de Campeonato Brasileiro: o primeiro lugar do returno.

Com 14 pontos nas sete rodadas já disputadas pela segunda metade da Série A, o Cruzeiro ocupa a segunda posição nesta classificação, atrás apenas do Botafogo, que tem 15.

Como só o Cruzeiro joga neste final de semana, já que a partida contra a Ponte Preta foi antecipada da 28ª rodada, que será disputada em 14 e 15 de outubro, por causa do show de Paul McCartney no Mineirão, dia 17, vencendo, a Raposa ficará líder do returno pelo menos até a próxima quarta-feira, quando começa a ser disputada a 27ª rodada.

A tarefa de conquistar os três pontos que garantem a liderança do returno será executada com desfalques importantes, principalmente no setor defensivo.

A ausência do goleiro Fábio já era certa, pois ele fez um exame clínico e foi liberado dos treinamentos desta semana.

O técnico Mano Menezes, que passou por um procedimento médico em São Paulo, não comandou os trabalhos desta semana e seu auxiliar, Sidnei Lobo, é quem vai comandar o Cruzeiro.
 
ZAGA RESERVA
E o time, definido ontem, na Toca II, terá uma zaga reserva, com destaque para a volta de Manoel, que ficou dois meses sem jogar por causa de uma lesão no pé-esquerdo, que ele fraturou em abril, mas retornou sem ainda estar totalmente em condições de jogar.

Ele vai formar dupla com Digão, com os titulares Léo e Murilo sendo poupados pela comissão técnica. Os laterais Ezequiel e Diogo Barbosa estão confirmados. Do meio para a frente, a única mudança em relação ao time que empatou com o Corinthians por 1 a 1, domingo passado, é a volante do volante Hudson, que foi poupado, no lugar de Lucas Romero.
 
MAIS UMA SAÍDA
O gerente de futebol Tinga é mais um a ficar fora do Cruzeiro. Depois do vice-presidente Bruno Vicintin, foi a vez do ex-jogador comunicar que não fará parte mais da direção celeste, em pronunciamento nesta sexta-feira na Toca da Raposa II. 

“Não estou deixando o Cruzeiro, apenas estou acompanhando os meus princípios. Não saio porque o Bruno saiu, saio porque acompanho aquilo que tenho como princípios. Jamais vou deixar para trás as pessoas que me ajudaram”, disse o ex-dirigente celeste. 


“Não estou deixando o Cruzeiro, apenas estou acompanhando os meus princípios. Jamais vou deixar para trás as pessoas que me ajudaram”

Tinga
 Ex-gerente de futebol