Na noite da última segunda-feira, enquanto os clubes da Série A do Brasileirão se reuniram na CBF para definir questões da competição (VAR, mando de campo), os integrantes da Primeira Liga (são 10 clubes da Primeira Divisão) também sentaram à mesa para definir o caminho a ser seguido em 2018. Sem a força que se esperava em sua criação, o torneio está desvalorizado, e pretende ser disputado em apenas quatro datas, sem fase de grupos e apenas mata-mata (em jogo único).

Presidida pelo mandatário do América, Marcus Salum, a Primeira Liga quer “retomar de pé o projeto”, mas sabe que não tem poder de barganha, uma vez que o torneio não emplacou nas duas edições passadas, mesmo tendo bons números de públicos em jogos envolvendo grandes da Série A. Fato é que a diretoria da entidade irá se reunir com a TV Globo, para ampliar o contrato de TV.

Atualmente, o acordo que cedeu os direitos de transmissão para a Globo vai até 2019. Tendo em vista que a edição 2018 será ainda uma fase de testes, Salum e Cia. querem aumentar o contrato até 2020. No ano passado, a Globo pagou R$ 23 milhões pelo torneio.