Superar o espetacular 2017 será um desafio para a promissora Camila Lins neste ano. A nova temporada, porém, já começa cheia de otimismo para a nadadora mineira, graças à convocação para defender o Brasil nos Jogos Sul-Americanos, entre 26 de maio e 8 de junho, em Cochabamba (Bolívia).

Apesar de esta ser uma competição adulta, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) decidiu chamar somente atletas Sub-20 para representar a seleção principal. O objetivo é dar mais experiência às revelações.

Assim, esta será a primeira grande competição internacional no currículo da belo-horizontina de 17 anos, após participações destacadas no Sul-Americano Juvenil (Colômbia), no Mundial Júnior (EUA) e nos Jogos Sul-Americanos da Juventude (Chile) em 2017.

“Foi um ano muito positivo, pois superei todas as expectativas em relação à seleção. Antes, isso parecia algo muito distante, mas acabei aproveitando bem as chances”, avalia a atleta do Minas.

Na primeira temporada representando a CBDA e o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) nos torneios de base, Camila faturou 17 medalhas apenas nas competições internacionais. 

No Mundial de Indianápolis, a mineira não subiu ao pódio, mas ajudou a colocar o Brasil na final do revezamento 4x100m livre e com recorde brasileiro da categoria na prova, com 55s40 na primeira parcial.