Por um lado, a saída de titulares inquestionáveis e a contratação das respectivas peças de reposição. Pelo outro, a chegada de reservas que prometem aumentar a disputa pelos coletes neste ano. A situação se repete, mas em alas opostas, nos renovados elencos de Atlético e Cruzeiro.

Com as transferências do lateral-direito Marcos Rocha e do lateral-esquerdo Diogo Barbosa, ambos para o Palmeiras, Galo e Raposa providenciaram reforços pensando inclusive no banco de reservas.
 
REAFIRMAÇÃO
A aposta alvinegra é em Samuel Xavier. Ele chega por empréstimo para vestir a camisa 2 contando com o aval do técnico Oswaldo de Oliveira, com quem havia trabalhado em 2016, no Sport. O atleta de 27 anos, porém, vem de uma temporada irregular no Recife no ano passado.

“Todo mundo passa por momentos difíceis. O ano de 2017 envolveu muitas coisas, até problemas familiares. Mas isso ninguém quer saber, todos querem ver o resultado dentro de campo. Sei da confiança do Oswaldo e espero recuperar o meu melhor futebol”, disse o campeão da Copa do Nordeste de 2015, apresentado oficialmente na Cidade do Galo nessa segunda-feira.

No Atlético, Xavier terá a “sombra” de Patric, velho conhecido da torcida. O lateral de 28 anos estava emprestado ao Vitória, onde foi titular no ano passado, e será mantido no elenco mesmo após ter recebido propostas de outros clubes da Série A, como o próprio Leão e a Chapecoense.

“Já estava bastante motivado com o retorno, e fiquei ainda mais contente quando soube que o Oswaldo quis a minha permanência. Isso prova que ele conta com o meu futebol, e farei de tudo para corresponder”, comentou o atleta.

Reserva imediato na reta final da temporada passada, Alex Silva deverá ser emprestado ao Goiás. O outro suplente é Carlos César, de 30 anos, recuperado de grave lesão no tornozelo.
 
ELEMENTO SURPRESA
A Raposa, por sua vez, contratou duas novas peças para a ala esquerda. Também apresentado nessa segunda, Marcelo Hermes, de 22 anos, se colocou na disputa pelo posto com o experiente Egídio, de 31, de volta ao clube celeste para ser o dono da camisa 6.

“Chego para brigar por posição. Cada um tem suas qualidades, e vamos trabalhar no dia a dia para conquistar o lugar”, disse o jovem emprestado pelo Benfica-POR. A seu favor, ele afirmou ter mais “pegada” na marcação, além da chegada à frente como “elemento surpresa”.

Hermes larga atrás na disputa com o campeão brasileiro em 2013, 2014 (Cruzeiro) e 2016 (Palmeiras). “Tenho a responsabilidade de voltar a ser o melhor lateral-esquerdo do Brasil, que foi como saí daqui. E não foi fácil conquistar essa posição. Ninguém chega aqui titular”, avaliou Egídio, destaque da posição na segunda Série A conquistada pela equipe celeste.

Pouco utilizado em 2017, Bryan foi emprestado ao Vitória. O reserva imediato de Diogo Barbosa disputou apenas 13 jogos no ano passado e sequer chegou a ser utilizado na campanha da Copa do Brasil.