No sangue carioca de Bebeto de Freitas corria a herança genética de duas figuras lendárias do esporte brasileiro. Primo de Heleno de Freitas e sobrinho de João Saldanha, ele mesmo se tornou histórico. Deixou marca no vôlei, foi dirigente no futebol e voltou ao Atlético em 2018. Aos 68 anos, Bebeto faleceu nesta terça-feira, 13, na Cidade do Galo.

O ex-presidente do Botafogo foi vítima de uma parada cardíaca logo após apresentar o time Galo Futebol Americano, uma parceria com o Grupo Sada e a equipe BH Eagles.

Desde dezembro do ano passado, Bebeto ocupava o cargo de diretor de Administração e Controle no clube alvinegro. Antes, havia sido secretário de Esportes e Lazer da Prefeitura de Belo Horizonte, já na gestão Alexandre Kalil. O dirigente estava na sua quarta passagem pelo Galo.

Um helicóptero foi acionado no CT do Galo. Entretanto, Bebeto não resistiu à parada cardíaca e não teve reação positiva ao atendimento médico recebido no local.

O ex-jogador, ex-técnico e ex-diretor deixa um grande legado para o esporte brasileiro, tendo sido o treinador da inesquecível “geração de prata” da seleção masculina de vôlei, segunda colocada na Olimpíada de 1984, em Los Angeles.