O começo de temporada para o grupo de titulares do Atlético foi bastante tranquilo em termos de deslocamentos. Afinal, o técnico Oswaldo de Oliveira decidiu mandar tanto a Varginha, no 0 a 0 com o Boa, quanto a Nova Lima (derrota por 1 a 0 para o Villa Nova) um time alternativo, dando ao grupo principal a condição de ganhar condicionamento físico sem correria, entrando em campo apenas no Independência. 

Pois a partir deste domingo começa uma maratona ditada, em parte, pela necessidade de somar pontos no Estadual depois dos tropeços e por uma coincidência de datas no calendário alvinegro provocada pela estreia na Copa do Brasil. Desta vez, a comissão técnica preferiu não arriscar e conta com força máxima tanto em Patos de Minas – diante da URT, domingo, às 19h30 –, quanto em Rio Branco, quarta-feira, às 21h45 (horário de Brasília), contra o Atlético(AC), pela primeira fase da Copa do Brasil.

O problema é o pouco tempo de intervalo entre os dois compromissos, o que fez com que a diretoria fosse obrigada a quebrar a cabeça em busca da logística que provocasse o menor desgaste possível. 

A viagem que manterá jogadores e comissão técnica longe de casa por quase uma semana começa às 9h de hoje, com o embarque para Uberlândia, em voo de carreira – um treino está previsto para a cidade. De lá, o grupo segue de ônibus para a terra do milho e por lá pernoita depois do jogo, seguindo na manhã de segunda em voo fretado para Brasília, onde a delegação faz a conexão para os 2.620 quilômetros restantes até Rio Branco. 

Na madrugada de quinta-feira, terá início a “Operação Retorno”, passando novamente por Brasília. E o tempo de recuperação e preparação será curto, já que, no sábado de Carnaval, o Galo volta a campo para encarar a Caldense, no Horto. 

Em recuperação de uma cirurgia dentária, Oswaldo de Oliveira não comandará o time em Patos. Auxiliar Luiz Alberto dirigirá a equipe