Criar um bazar para exercitar a matemática e visitar um conservatório de música para valorizar ainda mais as artes, a cultura e o patrimônio histórico são algumas das ações que a equipe formada pelo diretor e mais sete professores da Escola Estadual Vicente Martins Pereira, em Ibiracatu, no Norte de Minas Gerais, realizaram com os 90 alunos da Educação Integral e Integrada neste ano. 

O bazar surgiu da ideia de propiciar aos estudantes situações do cotidiano que possibilitassem o desenvolvimento do raciocínio e da capacidade de interpretação, sempre ligados ao contexto do uso social da matemática. Para isso, durante as aulas dessa disciplina, os alunos participaram de atividades como confecção de cédulas de dinheiro, moeda e talões de cheque fictícios, além da simulação de compra e venda de objetos.

Como esclarece a diretora Ademi de Jesus Antônio, depois de todas as tarefas consolidadas, alunos e equipe escolar arrecadaram doações de roupas para a realização de um verdadeiro bazar, que foi a conclusão do projeto. 

“Utilizamos um espaço fora da escola para montar o bazar, e todos da escola ajudaram a divulgar por meio de cartazes no comércio local, na igreja. Os estudantes da Educação Integral e Integrada elaboraram, junto com os professores, todas as tabelas com a descrição dos produtos, o que ajudou muito no controle das vendas”, disse a diretora.

Como todo esforço e toda atividade bem executada merece uma recompensa, o dinheiro arrecadado no bazar foi utilizado para fazer um grande piquenique. “Desde o início, os alunos estavam cientes de que o valor arrecadado seria gasto por eles, para o bem de todos os envolvidos no projeto. Então eles escolheram fazer o piquenique em uma área de lazer conhecida como ‘Fonte’, que fica a três quilômetros da escola, e foi uma tarde de muita diversão”, comentou Ademi.

ARTE
A atividade extraclasse se estendeu também a outro projeto da Educação Integral e Integrada – uma excursão ao Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez, em Montes Claros, que fica a 185 quilômetros de Ibiracatu.

Neste projeto, os alunos foram incentivados a despertar todos os conhecimentos adquiridos nas oficinas de canto e coral, de iniciação musical de instrumentos de cordas, de leitura e produção textual e de teatro, esporte e lazer, para compreender a atuação de cada um dos profissionais do Conservatório.

“O impacto desta excursão foi além do que esperávamos, porque nenhum dos alunos havia visitado um conservatório anteriormente. Eles conheceram muitos instrumentos que nunca tinham visto, ficaram encantados com a estrutura do prédio, com toda a diversidade cultural”, comemora Ademi.

A diretora explica que a Escola Estadual Vicente Martins Pereira sempre promove atividades extraclasse para os alunos, já que para muitos este é o único meio de conhecer novos lugares. “É um jeito de levar os alunos para além do circuito casa-escola, pois a maioria deles vive em situação de vulnerabilidade social e econômica e não tem como frequentar pizzarias, sorveterias, clubes de recreação. O melhor resultado de tudo isso é que percebemos o quanto os estudantes adoram ir para a escola”, finalizou Ademi. (Agência Minas)