Começa amanhã o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Pela primeira vez, as provas serão aplicadas com uma semana de intervalo, em dois domingos. O segundo dia do exame está programado para 12 de novembro.

A estudante Ana Júlia Souza, de 19 anos, não se atrasou na edição do Enem de 2016. Ela faria o exame no Colégio Plínio Ribeiro, onde o portão fechou exatamente às 11h. Porém, esqueceu a carteira de identidade e não conseguiu fazer as provas.

“A sensação foi de tristeza. Eu sou acadêmica de arquitetura, mas queria tentar o exame para conseguir o ProUni. Mas esse ano vai ser diferente, não vou ficar nervosa”, garante Ana Júlia.

O Professor Carlos Massa pontua que muitos alunos exageram na preocupação com o desempenho. O que pode prejudicar o raciocínio e até causar lapsos de memória. 

“A pessoa que for prestar vestibular tem que saber relaxar. Isso é essencial para garantir que ela chegue descansada para fazer a prova. Afundar nos livros faltando pouco tempo gera um desgaste que só irá prejudicar”, adverte Musso.

Aluna de cursinho preparatório, Eloisa Brito explica que tem muita ansiedade e isso atrapalha a dormir. Com a proximidade das provas a situação só tende a se agravar. “É muita pressão. Esse vai ser o segundo ano que faço o Enem. Não tem como ficar calma”.

A ansiedade não é exclusiva dos candidatos. Os pais, também acabam sofrendo junto a eles devido à expectativa. A empresária Jandira Magalhães tenta acalmar o filho Breno, de 18 anos, que nos últimos dias esteve virando noites e noites na companhia de livros, estudando. “Às vezes percebo que fico mais nervosa do que ele”.