De 17 a 26 de novembro, o músico Romário Allef se une a outros grandes nomes da música instrumental para se apresentar em praças públicas da cidade, o que tem se mostrado uma excelente alternativa para movimentar o cenário cultural da cidade.

Allef, 22 anos, nasceu em Janaúba (MG), é formado em música pela Unimontes. É filho de Claudionor Ferreira e Maria Valdenice, ambos comerciantes. Atualmente cursa o bacharelado na UFMG em flauta transversal.

“Como sou o único músico na minha família, tive o meu primeiro contato com a música um pouco mais velho, na banda do projeto ‘Adolescente Cidadão em Janaúba’, e somente a partir desse contato é que decidi buscar a especialização profissional na área da música.
 
Fale sobre o Instrumental do Sertão. É seu primeiro projeto?
É o primeiro projeto que participamos como coordenadores, mas tanto eu quanto outros envolvidos já estivemos em diferentes projetos desempenhando tarefas distintas. Dessa forma acumulamos uma certa experiência sobre o funcionamento geral de projetos culturais o que tem nos ajudado muito na gestão deste. O projeto é um oferecimento do Ministério da Cultura com o patrocínio do Banco do Nordeste
 
Quem são os envolvidos nessa empreitada?
Temos a equipe de coordenação formada por três pessoas: eu, Dayanne Fernanda e Tatiane Rocha. Uma dupla responsável pelo trabalho de divulgação e assessoria de imprensa: Ricardo Guimarães e Laisa Bastos. E por fim, os dois grupos musicais: o Mecenas, que é composto por Marco Neves, Thomas Fernandes, Jobert Narciso e Marcelo Andrade, que também participam do Quarteto de Sax Sopro Maior, juntamente com Antônio Jorge, Rodrigo Praes e Felipe Frascaroli. 
 
Há quanto tempo projeto estava sendo pensado?
A ideia de produzir um projeto cultural surgiu no final do ano de 2015, às vésperas do lançamento do edital cultural do BNB. Após definirmos a proposta de realização de espetáculos itinerantes em Montes Claros, juntamente com os músicos selecionamos as praças que poderiam nos oferecer a maior diversidade de público priorizando bairros mais afastados do centro e que geralmente não costuma receber esse tipo de apresentação. 
 
O que o público pode esperar dessa apresentação?
O Instrumental do Sertão é uma iniciativa que busca apresentar de forma itinerante e gratuita a música instrumental em bairros de Montes Claros. Além de promover um belíssimo espetáculo para os admiradores da música instrumental, esse também é um evento para pessoas que nunca tiveram contato com esse segmento musical, uma ótima oportunidade para se criar novos admiradores. O início das apresentações ocorrerá no dia 17 de novembro na praça Wanderley Fagundes, bairro Todos os Santos, às 19h. E como o nosso projeto pretende ser algo intimista, que atenda principalmente aos moradores dos bairros escolhidos, realizaremos uma divulgação mais incisiva nas proximidades das praças.
 
E o repertório?
O repertório é constituído por músicas de domínio público ou de autoria de músicos que irão se apresentar. Os dois grupos apresentam propostas diferentes: O quarteto de Sax Sopro Maior trará arranjos de grandes clássicos de Bach, Handel, Piazzola e entre outros Pixinguinha. Nesse primeiro momento apresentaremos ao público a versatilidade e a técnica dos Saxofonistas. Já o Mecenas apresentará diversas músicas autorais que estão de alguma forma relacionadas com a cultura norte mineira e a região Nordeste, mas sempre com um leve swing do jazz, uma característica que aproxima os dois grupos. 


Confira a agenda

Dia 17 - Praça Wanderley Fagundes - Todos os Santos, às 19h; 
Dia 18 - Praça Beato Francisco Coll - Bairro Maracanã, 16h; 
Dia 19 - Praça Flamarion Wanderley - Bairro São José, às 16h; 
Dia 25 - Praça Duque de Caxias - Bairro Santa Rita I, às 16h;
Dia 26 - Praça Dr. Chaves - Centro, às 10h.