Roberto Mont’Sá nasceu em Montes Claros no dia 13 de janeiro de 1972. É formado em canto pelo Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez (CELF), sob a orientação da professora Regina Coelho, além de licenciado pelo curso de Educação Artística da Unimontes. 

Recentemente, o cantor participou do curta-metragem “Gente Igual a Você”, gravado em Montes Claros, que contou com a participação do ator e humorista da TV Globo, Anselmo Vasconcelos. 
 
Roberto é barítono ou tenor? Qual a diferença?
Barítono. A voz masculina é classificada em três tipos: tenor, sendo o timbre mais agudo; barítono, a voz mediana (entre o tenor e o baixo); e baixo, a voz mais grave. Apesar de que existem homens que desenvolvem o timbre feminino, sendo esses classificados como contra-tenores.
 
O que o CELF e demais instituições de ensino representam para você? 
O CELF é tudo. É a família que escolhi. Hoje meus melhores amigos estão lá ou foram conhecidos nesta casa. Também fiz pós-graduação em Educação Artística pelas Faculdades Integradas de Jacarepaguá no Rio de Janeiro. Fiz o curso em aperfeiçoamento com os professores Marcos Thadeu Miranda (MG), Antônio Salgado e Fernanda Correa (Portugal), Patrizia Morandini (Itália), Iliana Cotribas (Romenia), Neide Thomas (PR).
 
Há bons cantores em Montes Claros?
Sim, não só cantores, existem bons e respeitáveis artistas, com conhecimento e técnica universal. 
 
Quem você ouve?
Escuto muito música erudita, sobretudo o gênero ópera, mas também escuto modas de viola, rock, bossa, samba e música regional.
Conte um pouco sobre suas principais participações em montagens de ópera.
Participei de quase todas as montagens de ópera em Montes Claros. Tirando a Madame Butterfly e a 1ª montagem do Fantasma da Ópera, acredito que participei das demais. A convite de Francisco Mayrink, fiz parte do elenco da Carmen (Bizet) em Salvador, e nas montagens das óperas em comemoração ao aniversário da Polícia Militar de Minas Gerais, participei nas óperas Cavaleria Rusticana (Mascagne) e O Empresário (Mozart). Também participei de uma montagem da La Traviata em Porto, Portugal. 
 
Recentemente você fez parte do elenco de um filme, gravado em Montes Claros. Como foi?
Foi uma grata e grande surpresa, quando o major e maestro João Jorge me fez o convite. Aceitei o desafio e o filme está aí, para passar pelo crivo de quem o assistir.
 
Qual seu cantor ou compositor favorito?
Tenho vários intérpretes que gosto, os tenores Pavarotti e Alfredo Kraus me inspiraram muito. Tenho admiração por Maria Lucia Godoy e a considero a grande divulgadora das canções eruditas e de compositores brasileiros. Me espelho muito nos barítonos brasileiros Renato Teixeira e Sebastião Teixeira. Ouço vários compositores nacionais e internacionais, mas ultimamente estou escutando mais os nacionais como Villa-Lobos, Lorenzo Fernandez, Guarniere, Marlo Nobre, dentre outros. 
 
O que pensa sobre programas como The Voice? Recentemente tivemos uma adolescente de Montes Claros selecionada nesse programa. 
É mais uma oportunidade dos profissionais se apresentarem. Acho bacana isso. Assisti a performance da Lúcia Muniz. A garota mostrou um grande talento. Creio que vai longe.