Valorização, mercado de trabalho, networking e contato com pessoas de diferentes partes do mundo. Foi por essas e outras razões que o músico janaubense Pedro Ângelo, decidiu se mudar para o Rio de Janeiro. “Foi um tempo difícil do ponto de vista logístico, não conhecia ninguém no Rio”, diz o filho de dona Maria de Lourdes e Manoel Messias. O músico cresceu em um ambiente musical. Seu pai toca violão e contra baixo, a mãe toca um pouco de violão e canta, e os tios e primos mais velhos também já se envolviam com música na igreja. A seguir ele conta mais sobre sua trajetória e os projetos. 
 
Quais suas percepções sobre a música gospel dentro do Brasil?
A música cristã no Brasil tem se desenvolvido em “guetos musicais” bem específicos. A música com letras profundas, bandas que trazem a fala de Cristo sem a confessionalidade evidente. Letras bem elaboradas, com vocabulário rico e analogias complexas. Também o “gueto” das músicas simplificadas, poucos acordes, frases longas, repetições, ritmos intimistas, melodias com notas longas e com um apelo contemplativo. 
 
Qual seu sentimento a cada apresentação nesses anos dedicados à música?
Amo o que faço e o faço por que amo. Cantar em igrejas, congressos, dar consultoria musical, ajudar no desenvolvimento da comunidade cristã local, são coisas que me deixam feliz. Porém, a luta ainda é grande nesse contexto pela dificuldade de entendimento da relação entre música, vocação e profissão. É uma realidade presente em vários cenários nas quais pude presenciar nesses anos de caminhada musical cristã. O trabalho de músico dentro da igreja tem sido um desafio nos tempos de hoje embora reconheça melhora significativa. 
 
Quais dicas você tem para um cantor ou banda independente iniciante?
Estude! Estude bastante. O mercado musical exige muito de você. Tenha conhecimento musical em várias ramificações. Especialize em um instrumento, mas saiba quantos instrumentos puder. Pesquise os locais em que quer trabalhar. Foque naquilo que acredita. Se deseja ser um músico profissional você será. O músico é uma profissão como qualquer outra. Além do talento, o estudo faz parte pra uma boa base de um profissional qualificado.
 
Janaúba passou por uma grande tragédia recentemente. Pensou em compor algo? 
Essa tragédia trouxe em evidência a cidade de Janaúba de uma forma que nenhum de nós que nascemos lá queríamos. Muitos sonhos foram frustrados, muita dor que envolve não só os familiares, mas todo as aqueles que partilharam da dor. Me conforta em saber que mesmo em meio a tragédia, ainda podemos acreditar na humanidade e em pessoas totalmente liberais em suas vidas em prol do outro. A solidariedade como um janaubense chegou aqui no Rio. Muitas palavras de carinho e solidariedade a todas as famílias e moradores. Meu desejo é de ver Janaúba reconstruída, com crianças que almejem um futuro possível depois dessa tragédia... através da arte, da música, do esporte, dos estudos sempre alçando voos maiores. Foi pra isso elas foram criadas. Para voar.

“Meu desejo é de ver Janaúba reconstruída, com crianças que almejem um futuro possível depois dessa tragédia... Através da arte, da música, do esporte”

“Foque naquilo que acredita. Se deseja ser um músico profissional você será. O músico é uma profissão como qualquer outra”